BIOIMPRESSÃO DE PELE Uma pele nova para substituir a sua!

Bioimpressao de pele

Impressoras de alta tecnologia hoje já são capazes de “imprimir/esculpir” brinquedos, órgãos e próteses para o corpo humano e até mesmo armas!

Bioimpressoras 3D já demonstraram ser possível “imprimir” uma pele nova para repor tecidos danificados, impactando profundamente a ciência dermatocosmética.

Estudos desta engenharia de tecidos foram apresentados em junho, no Centro Europeu de Dermatocosmetologia, em Lyon, na França,  e demonstraram que os pesquisadores já dispõem de modelos cutâneos funcionais micro vascularizados, sendo o próximo desafio a integração da rede linfática na nova pele.

As bioimpressoras 3D utilizam uma biotinta patenteada e já realizam a impressão de 1 cm2 de pele verdadeira, em menos de 2 minutos, com foco em sustentar, reparar ou substituir a pele danificada e/ou enrugada, inclusive com estruturação perfeita da junção dermo epidérmica (JDE), essencial para a firmeza da pele.

Embora a epiderme esteja se apresentando como a “etapa” mais difícil na realização desta nova tecnologia, esta conquista certamente esta cada vez mais próxima para abrir um caminho que irá revolucionar a ciência cosmética, desenvolvendo a pele substituta, possível garantia da eterna juventude.

VERDADE OU MITO?

19 Acne grau 2

VERDADE OU MITO? – 1

A acne piora no inverno.

 Verdade.

É necessário manter, e às vezes até intensificar os cuidados com a acne, para evitar os pontos inflamados.  A radiação UV tem ação germicida e, no inverno, ocorre a sua redução natural na atmosfera, levando a piora das erupções.

 

VERDADE OU MITO? – 2

Expor-se ao sol combate a acne.

 Verdade parcial.

Embora o sol promova a produção de Vitamina D, que melhora as espinhas durante um tempo, causa também o espessamento da epiderme provocando maior retenção do sebum, piorando a acne.

 

VERDADE OU MITO? – 3

Frituras e refrigerantes causam erupções da acne.

 Mito.

Nenhum resultado de pesquisa sugere isto, mas já foi demonstrado que trabalhar em lanchonetes fast food pode levar os poros a reagirem à gordura do ambiente, e esta poderia desencadear a erupção.

 

VERDADE OU MITO? – 4

Uma pessoa com acne é considerada suja.

 Verdade parcial.

É claro que a aderência de sujidades ambientais na pele, se intensifica em presença da seborreia, conduzindo ao bloqueio dos poros.  Entretanto, não é a própria “sujeira” que causa a inflamação da acne, existem outros fatores como os hormonais.

 

VERDADE OU MITO? – 5

A acne já não será mais problema quando se alcançar a maioridade.

 Mito.

Muitas pessoas têm acne quando adultas, embora a severidade do quadro possa variar. Após os 50 anos de idade, porém, devido a diminuição natural da produção do sebum e a redução do ritmo do processo de diferenciação celular, a acne normalmente retrocede.

 

VERDADE OU MITO? – 6

Lavar a face várias vezes ao dia é bom para o combate da acne.

 Verdade parcial.

A moderação é melhor:  higienizar completamente a face pela manhã, à noite.

À tarde pode-se utilizar apenas uma loção controladora da oleosidade. Na realidade, a “limpeza” excessiva conduz à delipidação – remoção total da proteção natural da pele, que perde o seu efeito barreira protetora natural, aumentado o risco de inflamação.

Além disto, a pele reagirá produzindo mais sebum, reação compensatória, que pode piorar a condição hiperseborréica.

 

VERDADE OU MITO? – 7

A utilização frequente de peelings esfoliantes e loções alcoólicas, deixam a pele seborreica sem “aquele” brilho oleoso.

 Mito.

Substâncias químicas agressivas, fricção excessiva (ou muito frequente), com esfoliantes granulados podem levar ao super ressecamento da pele.

Loções alcoólicas frequentemente conduzem ao efeito rebote, fazendo a pele aumentar a produção de sebum para compensar a agressão exercida durante a limpeza.

Cosméticos de alta tecnologia estão disponíveis no mercado para controlar a hiperseborréia e a acne.   Devem ser utilizados os chamados produtos ACNE CONTROL que transmitem sensação refrescante à pele, contribuem para restabelecer o reequilíbrio cutâneo, sem deixar a superfície com brilho gorduroso ou sensorial pegajoso.