CONVITE PARA A JORNADA DE ESTÉTICA DA UNIP – 2018

UNIP

No dia 15 de Setembro acontecerá o Encontro Acadêmico – Jornada de Estética da UNIP, e eu serei uma das palestrantes convidadas, e apresentarei o tema: COSMETOLOGIA PRO-AGING – Reescrevendo a tradicional narrativa antienvelhecimento, através de propostas para a saúde da pele impulsionadas pela tecnologia cosmética. Se você profissional e tem interesse em participar, envie e-mail para: maritaresende@gmail.com. Você é convidada(o), mas são poucas as vagas. Entre em contato o mais breve possível para garantir o seu lugar.

BOTÂNICA ANTIOX DA AMAZÔNIA

O stress oxidativoé causado pelo desequilíbrio entre a eficiência dos sistemas antioxidantes produzidos pelo organismo e a produção de radicais livres.

SISTEMAS DE DEFESA

O organismo desenvolveu diversos sistemas de defesa, chamados sistemas endógenos:

  • as enzimas: superoxi dismutase (SOD), catalases e glutationa peroxidase;
  • os antioxidantes não enzimáticos: hormônios estrogênicos, ácido úrico, coenzima Q, bilirrubina, melanina, melatonina, tocoferol e ácido lipóico.

 

Pesquisas tem demonstrado que o envelhecimento cutâneo é grandemente influenciado pelos desequilíbrios do meio ambiente, como o aumento do nível e da intensidade da agressão oxidativa ou a redução nos sistemas endógenos de proteção.

Os principais antioxidantes atualmente utilizados em cosméticos são obtidos de plantas, considerando a habilidade dos vegetais em converter Oxigênio e

Gás Carbônico em moléculas vitais para o seu desenvolvimento.

Este é o caso, por exemplo, dos flavonóides, ácidos fenólicos, tocoferóis, ácido ascórbico e carotenóides.  Eles agem retardando os sinais de envelhecimento da pele e dos cabelos, impedindo a ocorrência de danos estruturais.

 

MECANISMO DE AÇÃO DOS ANTIOXIDANTES

Os antioxidantes combatem os efeitos da oxidação através de 2 mecanismos:

  • bloqueio dos iniciadores da oxidação e
  • complexação de metais de transição.

 

Quando os antioxidantes bloqueiam os iniciadores da oxidação, eles atuam através da ação direta, inibindo o início desta reação.   Esta atuação preventiva impede a formação de espécies reativas de oxigênio (ROS), ou ainda capturam espécies responsáveis pela iniciação do processo  oxidativo, sequestrando o oxigênio singlete 1O2.   Isto ocorre por exemplo  devido a incidência da Radiação UV, degeneradora do DNA da pele.

 

A complexaçãode metais de transição, como o cobre e o ferro, são muito conhecidas por formar complexos de quelação com estes metais, transportando ou eliminando estas substâncias, prevenindo assim as reações de oxidação.  A eficiência deste tipo de atividade antioxidante é característica dos flavonóides e ácidos fenólicos, assim como a ferritina e a albumina.

 

BOTÂNICA ANTIOX DA AMAZÔNIA

Laboratórios brasileiros, têm desenvolvido importantes trabalhos para identificação de antioxidantes de uso em cosméticos. Em uma de suas pesquisas, a ASSESSA, desenvolveu um complexo bioativo que combina 3 plantas originárias da Amazônia, para se obter alto nível de proteção oxidativa.

Esta associação que comprovou sua ação anti stress oxidativo da pele, reúne:

FOTOPROTEÇÃO E

Constata-se atualmente, em todo mundo, verdadeira epidemia de hipovitaminose D: um grande número de pessoas, com níveis insuficientes e até deficientes de vitamina D. Isso tem originado politicas de suplementação da indústria alimentar (por exemplo, laticínios, sucos industrializados), ou mesmo suplementação oral em populações de risco (como idosos), e recomendação para se expor solar, porém com protetor solar.

Esta deficiência não tem relação com a utilização de filtro solar, e sim com a ingestão deficitária de determinados alimentos (carnes, peixes, frutos do mar, ovos e leite) e, principalmente, devido aos nossos hábitos de lazer e de trabalho, em ambientes abrigados do sol, característicos da sociedade moderna que não se expõe ao sol no seu cotidiano.

A vitamina D é um hormônio produzido a partir da ingesta nutricional, e em 90% pela pele, sob exposição leve à radiação UVB. Ela desempenha importantes funções no organismo, principalmente no metabolismo ósseo, imunidade e resistência à insulina.

Diversas condições clínicas e de hábitos interferem nos níveis de vitamina D, como dietas restritivas, cirurgia bariátrica, obesidade, hepatopatia, nefropatia, idosos, acamados, indivíduos que não se expõem diretamente ao sol, sedentarismo, diabetes mellitus, entre outras.

Além disso, características individuais, como a espessura da pele exposta (reduzida em idosos), e outros fatores como má-absorção do intestino (como ocorre em pacientes que fizeram cirurgia bariátrica), medicamentos de uso regular, obesidade, sedentarismo, e variações nos receptores de vitamina D nos tecidos, que interferem na síntese e disponibilidade desta vitamina, são elementos que contribuem para a atual epidemia de hipovitaminose D.

Os resultados de pesquisas da SBD, entre outras, subsidiam a manutenção da indicação da utilização regular do filtro solar, frente à exposição moderada ao sol e confirmam que a exposição solar mais segura para a pele, deva ocorrer fora dos horários de pico do UVB (10h-16h), sob vestuário adequado e sem risco de vermelhidão (o que degrada a vitamina D da pele).

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia

O FOTOPROTETOR É CULPADO PELA REDUÇÃO DA VITAMINA D NO NOSSO ORGANISMO?

A pesquisa revelou que a variação dos níveis plasmáticos de vitamina D foi maior  para o grupo exposto com filtro solar do que para o grupo confinado, mostrando que ocorreu síntese efetiva de vitamina D após breve exposição ao sol, mesmo com filtro solar.

Foi comprovado que a síntese de vitamina D depende de doses muito baixas de UVB em pequenas áreas do corpo. A radiação atinge a pele através do vestuário leve e couro cabeludo, áreas que não são completamente cobertas pelo filtro solar.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia

ESTETICISTAS SEM FRONTEIRAS Abrace esta ideia!!!

Idealizado pelo Dr. Hugo Turovelzky, o projeto ESTETICISTAS SEM FRONTEIRAS  foi lançado no encerramento do XII Congresso Científico Internacional de Estética e Cosmetologia, que ocorreu na Beauty Fair 2017, em São Paulo.

A proposta deste projeto, que tem Ala Szerman como embaixadora, busca levar cuidados estéticos à comunidades em todo o Brasil e exterior, como ação de inclusão social além da conscientização e valorização da importância do auto cuidado.

Esta atuação também trará maior visibilidade da esteticista como agente ativo de transformação, que contribui para a recuperação da autoestima e bem estar.

Você gostaria de participar?

Envie e-mail para maritaresende@gmail.com

Identificando o assunto como Esteticistas sem Fronteiras:

 

Nome:

E-mail:

Telefone:

Cidade:

Estado:

– Abrace esta ideia!

ÓLEOS ESSENCIAIS 5/5 – 10 REGRAS PRÁTICAS

  1. Adquira OE de boa procedência, de fornecedor conhecido e idôneo, e siga a orientação de uso escrita na embalagem;
  2. Não aplique OE puro diretamente sobre a pele ou mucosas, pois podem desencadear grandes irritações ou queimaduras;
  3. Mantenha os OE fora do alcance de crianças e protegidos da luz e do calor;
  4. Para facilitar as medições, utilize uma seringa hipodérmica, adquirida em farmácia;
  5. Ao fazer misturas, use sempre as proporções e doses indicadas pelo fabricante;
  6. Não misture mais de 3 essências diferentes em uma mesma preparação, pois pode se perder a eficácia;
  7. Confie em seu olfato: utilize apenas essências que lhe sejam agradáveis;
  8. Deve-se evitar massagear a região ocular com OE, podem ser irritantes para os olhos;
  9. Não aplique OE sobre região irritada ou ferida;
  10. Deixe muito claro para o cliente sobre a necessidade de um intervalo de 24 horas para exposição ao sol, radiação UV, ou calor excessivo, para prevenir queimaduras.

ÓLEOS ESSENCIAIS 4/5 – COMPOSIÇÕES DE OE

Há tempos já foi comprovado que Aromaterapia significa muito mais do que fragrância. Os OE das plantas têm poder curativo, possuem ação antisséptica, relaxante e nos ajudam a vencer o cansaço físico, além de estimular o nosso espirito.

Aromaterapia é aceita como parte dos cuidados de enfermagem no Reino Unido. Enfermeiras britânicas da Royal College of Nurses (Faculdade Real de Enfermagem), utilizam OE de forma tópica e também para inalação, com o objetivo de melhoria dos cuidados do paciente, e com instruções específicas dos médicos.

Aromaterapia é também utilizada no sistema de enfermagem da Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Alemanha e Suíça.

Atualmente esta terapia complementar está também se difundindo nos Estados Unidos, onde mais de 30 estados já permitem o seu uso integrando os cuidados holísticos de enfermagem.

Há muitas maneiras de se utilizar os OE.  A massagem e o banho costumam ser as mais praticadas.

USANDO COMPOSIÇÕES DE ÓLEOS ESSENCIAIS

Os OE geralmente são associados ao Óleo Base para realçar ou ampliar a sua ação medicinal, e também para criar um aroma mais sofisticado.

Para finalidades terapêuticas, costuma-se associar no máximo 3 óleos por vez, pois a mistura exagerada altera a estrutura molecular dos óleos, e o resultado que se obtém não é o mais funcional.  Para escolher os óleos que serão associados é importante assegurar-se de que suas propriedades sejam complementares.

REGRAS PARA AS MISTURAS

  • Escolha 2 ou 3 óleos que se complementem, preferencialmente do mesmo grupo. Exemplo: do grupo dos florais… do grupo dos cítricos… do grupo das especiarias…
  • Escolha como base o óleo de massagem, facial ou corporal, que você já está habituada a utilizar;
  • É imprescindível que o o Óleo Base seja de origem vegetal e suave. como o de amêndoas doces, semente de uva, germem de trigo, jojoba, semente de girassol, etc…
  • Coloque 10 ml do Óleo Base, em um recipiente pequeno e adicione uma gota de cada essência escolhida, idealmente 2 e no máximo 3;
  • Lentamente, acrescente os óleos escolhidos, misturando-os bem com a ponta da espátula e faça um toque no dorso da mão para verificar se a mistura lhe agrada;
  • Faça a mistura usando menor quantidade dos óleos de aroma mais forte;
  • É fundamental que o perfume da mistura tenha ficado agradável;
  • Se o aroma estiver muito forte, com predominância de uma essência que você não acha harmoniosa, recomenda-se que se acrescente uma gota extra de lavanda, manjerona, alecrim ou rosa;
  • Se quiser, pode acrescentar até 1 ml do óleo de germem de trigo, para melhor preservação da mistura;
  • Guarde em frasco âmbar.

ATENÇÃO:

Prepare sempre pequenas quantidades, pois OE são extremamente voláteis!

Além da utilização em massagem, esta mistura pode também ser adicionada à espuma de banho.

 

ÓLEOS ESSENCIAIS 3/5 – USE COM SEGURANÇA no corpo

Inicialmente os OE eram reservados somente aos sacerdotes e reis, que lhes outorgavam também um caráter sagrado, acreditando que eles os aproximavam dos deuses do Olimpo, como uma ponte de força protetora, curativa e estimulante da vitalidade e beleza.

Hoje a utilização dos OE é difundida universalmente. Mas é falsa a ideia de que esta terapia é absolutamente inócua ou eficaz para todas as pessoas, são necessários conhecimento e experiência para praticá-la com segurança.

De acordo com IFRA (International Fragrance Association), uma gota de OE representa entre 25 a 35 g da planta originária.  Ela também adverte sobre OE perigosos: OE de Cássia, Canela, Cravo, Anis, Sassafrás, Verbena, e também o OE obtido da raiz de Angélica e do Bálsamo-do-Peru.

PREPARAÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL PARA A MASSAGEM CORPORAL

Na massagem corporal, as substâncias aromáticas podem ativar o fluxo de fluídos orgânicos e a circulação linfática, contribuindo para reduzir a retenção de líquidos nos tecidos e os acúmulos linfáticos nas pernas, pés e braços, favorecendo o processo de desintoxicação.

  • Misture 20 a 30 gotas do OE escolhido em um frasco de vidro âmbar contendo 50 ml do óleo básico.
  • Agite antes de aplica-lo nos movimentos de massagem.

ÓLEOS ESSENCIAIS 2/5 – USE COM SEGURANÇA na face

Os OE constituem um dos recursos terapêuticos mais antigos da humanidade.

Eram utilizados inclusive na vida cotidiana dos povos romanos, que se banhavam com essência de Lavanda (Lavandula Officinales), por isto o nome em latim desta planta,  Lavandula, da palavra lavare, que significa lavar.

COMO UTILIZAR O OE PARA MASSAGEM?

Fatores importantes a serem considerados:

  • Os OE puros podem ser altamente irritantes;
  • Apresentam um odor muito forte e nem sempre agradável;
  • NÃO SÃO GORDUROSOS! Embora a sua denominação sugira isto, eles podem ser utilizados em peles oleosas;
  • Têm alto poder de penetração na pele, podendo atingir a circulação sanguínea.

SUGESTÃO PARA O PREPARO DO OE PARA A MASSAGEM FACIAL:

O mais prático é você utilizar como base ou suporte um óleo facial ou corporal já definido para a massagem, idealmente sem odor.

– Evite os óleos minerais!